Parque Nacional do Teide

O Teide, o pico mais alto de Espanha
O Parque Nacional do Teide é o local ideal para comprovar a criatividade construtiva dos vulcões. Situado no centro da ilha de Tenerife, este anfiteatro com 15 quilómetros de diâmetro produto de inumeráveis erupções tem como protagonista a montanha mais elevada de Espanha, o pico Teide, com 3.718 metros de altitude. Quem acariciou as suas lavas caprichosas e observou os seus claros céus entende porque esta joia natural é o parque nacional mais visitado da Europa e Património da Humanidade da Unesco.
Um parque nacional no centro de Tenerife
Surpreendentemente, este enorme campo de lavas situado na sua maioria a mais de 2.000 metros de altitude está cheio de vida vegetal e animal. Toda esta riqueza natural é explicada detalhadamente pelos seus dois centros de interpretação e pela sua completa rede de sinais. Para se mover, o visitante dispões de quatro acessos e várias estradas pelas que pode transitar em transporte privado ou público. A variedade de serviços à disposição do turista converte o Teide num destino ideal para toda a família.
Altura
2.400 m
Flora interest
Catering
Parking
Perfoming center
Trekking routes
Public transport
Wildlife interest
Localidad
La Orotava, Guía de Isora, Icod de los Vinos, Fasnia, Granadilla de Abona, La Guancha, San Juan de la Rambla, Adeje, Santiago del Teide, Los Realejos, Vilaflor, Garachico

TENERIFE

TENERIFE

GRAN CANARIA

GRAN CANARIA

FUERTEVENTURA

FUERTEVENTURA

LANZAROTE

LANZAROTE

LA GRACIOSA

LA GRACIOSA

LA GOMERA

LA GOMERA

LA PALMA

LA PALMA

EL HIERRO

EL HIERRO
No te lo puedes perder
Imagen
Título
Subir ao Teide

Teleférico e vereda até ao cume do Teide

Subir este vulcão de 3.718 metros de altitude é uma experiência inesquecível. Desde o ponto mais alto do Parque Nacional do Teide e da ilha de Tenerife podem-se contemplar umas vistas impressionantes do paredão de Las Cañadas, do vulcão anexo ao Teide –Pico Viejo– e, em dias de grande visibilidade, das outras seis Ilhas Canárias. Isso sim, este ambiente de alta montanha requer levar calçado e roupa adequados, proteger-se do sol e vigiar os efeitos da altitude.

A subida ao Teide pode-se fazer mediante um teleférico que parte da base da montanha e em oito minutos chega a um ponto abaixo da cimeira. Também se pode subir a pé por uma vereda de seis horas de duração que começa na montanha Blanca. Em ambos os casos deve-se levar uma autorização de acesso ao pico se se quer completar a subida, e é possível dormir no refúgio de Altavista para ver o precioso amanhecer desde as alturas.

Imagen
Título
Rochas de García

A imagem de postal do Teide

As caprichosas formas das rochas de García, com o Teide ao fundo, moldam a imagem mais típica do Parque Nacional del Teide. O mais famoso destes monólitos naturais é a rocha Cinchado, a qual parece um enorme cogumelo que desafia a gravidade com a sua inclinação e a sua forma irregular. As rochas fazem parte duma enorme linha de material vulcânico que durante séculos resistiu tenazmente à erosão.

Esta concorrida atração encontra-se perto do centro de visitantes de Cañada Blanca e do Parador de Turismo do Teide. A zona de acesso é conhecida como La Ruleta e dispõe de estacionamento, miradouro e ponto de informação. Desde La Ruleta ascendem os degraus, modelados na rocha, duma pequena vereda que passa junto a estes picos vulcânicos e permite sentir na palma da mão a história geológica que late na sua rocha.

Imagen
Título
Rede de veredas

Caminhadas pela alta montanha das Ilhas Canárias

Para desfrutar a fundo do Parque Nacional do Teide não há nada como usar calçado resistente, equipar-se para um dia em alta montanha e sair para caminhar pela sua extensa e bem mantida rede de veredas. Das quatro rotas principais, sobressaem a subida desde a montanha Blanca até ao ponto mais alto da ilha de Tenerife, o pico Teide, de cinco horas e meia de duração e de dificuldade alta; e Siete Cañadas, de grande comprimento mas de dificuldade baixa.

A lista completa-se com duas rotas circulares: a das rochas de García, de dificuldade média e acessível desde a zona do Parador de Turismo, e a de Arenas Negras, de dificuldade baixa, que começa junto ao centro de visitantes de El Portillo. Estas quatro rotas complementam-se com outros percursos adicionais sobre os quais se pode obter mais informações num guia ‘online’ e nas publicações oficiais do parque.

Imagen
Título
Observatório Astrofísico do Teide

Visitar os grandes telescópios de Tenerife

Os cumes de Tenerife têm um dos céus de maior qualidade para a observação de astros do hemisfério norte. Por isso, perto do Parque Nacional do Teide encontra-se um dos conjuntos de telescópios mais importantes do mundo: o Observatório Astrofísico do Teide, com os seus mais de 10 telescópios solares e de céu noturno. O conjunto de brancas cúpulas do observatório é só por si uma atração de primeira ordem.

Está situado na zona de Izaña, na estrada TF-21, que vem de La Laguna, e é gerido pelo Instituto de Astrofísica das Canárias. Pode-se visitar em grupos de 15 ou mais pessoas, em horário diurno, entre os meses de abril e dezembro e após solicitar autorização. Ultimamente, a observação de estrelas está a converter-se numa atividade muito popular no Teide, e cada vez mais empresas privadas oferecem serviços de excursões noturnas.

Imagen
Título
Minas de San José

Uma planície multicolor junto ao Teide

Nas Minas de San José é fácil pensar que se está noutro planeta em vez de no Parque Nacional do Teide. As Minas são planícies de cascalho dourada intercaladas com blocos de rocha de cores ocres e formas retorcidas. Em frente jazem larguíssimas correntes de lava vulcânicas, e à distância, a enorme parede de Las Cañadas do Teide, dominada pelo alto de Guajara, uma montanha de singular beleza.

Esta amálgama de cores, texturas e elementos singulares converte Las Minas num dos locais do parque favoritos entre os amantes da fotografia e os diretores de cinema. Aqui já foram rodados numerosos filmes, alguns deles grandes produções internacionais. Dois exemplos notáveis são ‘Confronto de Titãs’, de 2012, dirigido por Jonathan Liebesman; e ‘Mil Séculos Antes de Cristo’, de 1966, dirigido por Don Chaffey.

Imagen
Título
Planície de Ucanca

Silêncio e beleza nos cumes de Tenerife

A planície de Ucanca é uma ampla extensão de areias e sedimentos de tons dourados que está encaixada entre as caprichosas rochas de García e o grande paredão de Las Cañadas, em pleno coração do Parque Nacional do Teide. A sua situação tão especial, o seu silêncio e a estranha beleza da sua paisagem fazem de Ucanca um local mágico para muitos e uma paragem favorita para quem procura recarregar baterias na natureza.

Para chegar a Ucanca é necessário conduzir em direção sul pela estrada que atravessa o parque (TF-21) e passar pelo Parador do Teide. Deve-se deixar o carro num desvio e aceder ao local a pé. Esta planície pode estar coberta de charcos de precipitação pouco profundos que às vezes se unem numa larga e efémera lagoa de superfície cristalina sobre a qual se reflete o Teide com uma nitidez impressionante.

Imagen
Título
La Tarta

Cinzas vulcânicas de cores a caminho do Teide

La Tarta é um simples corte no chão junto a uma estrada de acesso ao Parque Nacional do Teide. No entanto, o que mostra a escarpa é realmente surpreendente: uma infinidade de camadas de cinzas vulcânicas de múltiplas cores e dezenas de metros de espessura que aparecem inclinadas de forma dramática. O conjunto faz lembrar um bolo de chocolate e natas (daí o seu nome) e deixa maravilhado quem o vê pela primeira vez.

Este ponto encontra-se numa curva fechada da estrada TF-24, a pouca distância do limite oriental do parque. Na própria curva está o miradouro de La Tarta, duas plataformas de diferente nível e com painéis interpretativos nos quais se explica a origem desta curiosa formação. Desde as suas grades pode-se deslumbrar o Teide e as ladeiras vermelhas e cobertas de pinheiros que se estendem até ao mar.

Imagen
Título
Centro de visitantes de El Portillo

Conhecer como se formaram a ilha de Tenerife e o Teide

Uma visita ideal ao Parque Nacional do Teide começa no centro de visitantes de El Portillo. Este moderno complexo de entrada gratuita tem área interpretativa, sala de projeções e jardim botânico, e neste se explica como se formaram a ilha de Tenerife e o Teide. Também apresenta detalhadamente os valores geológicos, biológicos e paisagísticos que valeram a este parque nacional o reconhecimento de Património Mundial da Unesco em 2007.

O centro está situado perto dos acessos ao parque nacional pelas povoações de La Orotava e La Laguna (estradas TF-24 e TF-21, respetivamente), a cerca de 300 metros duma zona edificada chamada El Portillo, na qual se encontram restaurantes, cafés e lojas de ‘souvenirs’. As suas dependências estão alimentadas pela energia solar, adaptadas a pessoas de mobilidade reduzida e elegantemente integradas no seu ambiente.

Imagen
Título
Centro de visitantes de Cañada Blanca (Parador Nacional)

Visitar e passar a noite no parador a mais altura de Espanha

O centro de visitantes de Cañada Blanca e o Parador de Turismo do Teide encontram-se dentro dum atrativo complexo de construção quadrada e acabado em cores ocres e escura rocha vulcânica situado a 2.152 metros de altitude, junto às emblemáticas rochas de García e ao pé da cordilheira sul do parque, as famosas Cañadas del Teide. A paragem neste centro neurálgico do parque é obrigatória para qualquer tipo de visitante.

Os mais curiosos têm no centro de visitantes de Cañada Blanca um espaço luminoso e moderno que resume de forma didática o amplíssimo património do parque. Quem optar por passar a noite sob um dos céus mais claros do mundo tem o Parador de Turismo de Las Cañadas del Teide, um hotel nacional de duas estrelas com restaurante aberto ao público, piscina, sauna e ginásio. Quem quiser descansar tem uma cafetaria e uma loja de ‘souvenirs’.

Sustentabilidade
Sostenibilidad
- Nunca deixe resíduos de qualquer tipo no meio envolvente, incluindo pontas de cigarro. Os resíduos alimentares contribuem para a proliferação de roedores e gatos selvagens que constituem uma séria ameaça para a vida selvagem.
- Respeite os animais, não os incomode nem os alimente. Se vir algum animal ferido, pode contactar o número de emergência 112. Não arranque flores ou plantas.
- Não apanhe nem leve pedras ou qualquer outro elemento do meio ambiente. Também não o modifique empilhando as pedras para construir as infames "torres".
- Não caminhe em espaços não assinalados e respeite a sinalização dos trilhos. Sair dos caminhos assinalados causa danos ao meio ambiente e também pode ser perigoso para si e para aqueles que o acompanham.
- Não acenda fogos fora das zonas permitidas e tenha especial cuidado nos meses de verão.
- Tente não perturbar a tranquilidade do meio envolvente com ruído excessivo (música alta, gritos...).
1
10
262
10045